top of page

23 é Dia de São Jorge!

Em todo o Rio de Janeiro, principalmente nos bairros populares, nos subúrbios e periferias, o dia começa muito cedo. Em certos lugares sequer se dorme, tamanha a quantidade e duração dos fogos que tomam conta dos céus na grande festa da "Alvorada de São Jorge".



As paróquias lotam, em especial a Igreja Matriz de São Jorge, em Quintino, no Subúrbio da Central. O dia é de feriado, missas, batuques em terreiro, festas familiares, churrasco, devoção e alegria.


É dia de São Jorge, Domingo 23, que no Rio é também o General Ogum. Na África, o Orixá se ligava aos mistérios da metalurgia, inventor do arado e senhor das tecnologias agrícolas. No Brasil foi enfatizado seu caráter marcial, guerreiro, típico da espiritualidade do nosso povo, que tem a necessidade de ''matar um leão por dia''.


As umbandas ensinam que Ogum lutou na Guerra do Paraguai ao lado dos contingentes mulatos, e pontos e cantigas citam sua presença na Batalha de Humaitá.


O Ogum que guerreia com os brasileiros é também São Jorge, mártir cristão que se recusou a apostatar nas perseguições dos primeiros séculos, e que lutou ao lado dos portugueses e espanhóis na Reconquista Ibérica: O poderoso santo que salva a filha do Rei de ser devorada em sacrifício ao dragão da maldade.


Como canta Jorge Ben:


"É dia dele passear

No seu cavalo branco

Pelo mundo pra ver

Como é que tá


De armadura e capa

Espada forjada em ouro

Gesto nobre, olhar sereno

De cavaleiro, guerreiro justiceiro

Imbatível ao extremo

Assim é Jorge e salve Jorge


Viva, viva, viva Jorge


Pois com sua sabedoria e coragem

Mostrou que com uma rosa

E o cantar de um passarinho

Nunca nesse mundo se está sozinho"


SALVE, JORGE!


PÃO, TERRA, TRADIÇÃO!

0 comentário

Comments


bottom of page